Muitos trabalhadores movem processos trabalhistas com pedido de indenização por alguma irregularidade na empresa que trabalharam, hoje em dia o número de processos de indenização é muito grande, isso porque devido a facilidade de se mover e ganhar um processo desse tipo muitos tem aproveitado a oportunidade para cobrar judicialmente os seus direitos. Os processos trabalhistas podem ser movidos no Tribunal Regional do Trabalho TRT da região competente ao seu estado, cada região possui varas trabalhistas de acordo com cada município que são movidas pela parte interessada. Os processos mais complexos podem ir para o Tribunal Superior do Trabalho. Hoje vamos explicar para você como consultar o andamento de um processo trabalhista pela internet, é um serviço fácil de ser utilizado e de vital importância para saber como está o andamento do mesmo, embora os advogados repassem essas informações aos seus clientes, muitos clientes desconfiam do andamento e da demora do mesmo, então saiba como fazer essa consulta gratuitamente pela internet.

 

Consulta processo TRT – Tribunal Regional do Trabalho

Confira abaixo a lista de Regiões do TRT (Tribunal Reginal do Trabalho) e o link do site para consulta processual, ao final está mencionado a região em que o Tribunal atende, passando por várias varas de acordo com o município da região atendida.

Rio de Janeiro/RJ – TRT 1ª Região = Atende Rio de Janeiro
São Paulo/SP – TRT 2ª Região = Grande São Paulo, Ibiúna, Baixada Santista, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe.

Belo Horizonte/MG – TRT 3ª Região = Minas Gerais

Porto Alegre/RS – TRT 4ª Região = Rio Grande do Sul
Salvador/BA – TRT 5ª Região = Bahia
Recife/PE – TRT 6ª Região = Pernambuco
Fortaleza/CE – TRT 7ª Região = Ceará
Belém/PA – TRT 8ª Região = Pará e Amapá
Curitiba/PR – TRT 9ª Região = Paraná
Brasília/DF – TRT 10ª Região = Distrito Federal e Tocantins
Manaus/AM – TRT 11ª Região = Amazonas e Roraima
Florianópolis/SC – TRT 12ª Região = Santa Catarina
João Pessoa/PB – TRT 13ª Região = Paraíba
Porto Velho/RO – TRT 14ª Região = Acre e Rondônia
Campinas/SP – TRT 15ª Região = Municípios do estado de São Paulo que não fazem parte do TRT 2ª Região.
São Luis/MA – TRT 16ª Região = Maranhão
Vitória/ES – TRT 17ª Região = Espírito Santo
Goiânia/GO – TRT 18ª Região = Goiás
Maceió/AL – TRT 19ª Região = Alagoas
Aracaju/SE – TRT 20ª Região = Sergipe
Natal/RN – TRT 21ª Região = Rio Grande do Norte
Terezina/PI – TRT 22ª Região = Piauí
Cuiabá/MT – TRT 23ª Região = Mato Grosso
Campo Grande/MS – TRT 24ª Região = Mato Grosso do Sul

 

Como consultar

É fácil, você precisará saber primeiro qual região o seu processo se encontra, pra descobrir isso é fácil, quem mora no Rio de Janeiro por exemplo fazem parte do TRT da 1ª Região, nesse caso é só acessar o site correspondente no link acima e fazer a consulta. Note que no Estado de São Paulo tem duas regiões a 2ª e a 15ª, neste caso a 2ª Região engloba municípios da Grande São Paulo e a 15ª Região Campinas e interior de São Paulo. Se tiver dúvidas sobre qual delas o seu processo trabalhista se encontra faça a consulta nas duas regiões.

A Consulta deve ser feita com o CPF ou Número do Processo, algumas regiões tornam obrigatórias a inclusão do número do processo já que os processos trabalhistas são destinados apenas as partes envolvidas. O seu Advogado deve ter dado algum documento que consta o número do processo e em qual Vara ele será movido.

 

Processos TST (Tribunal Superior do Trabalho)

Os processos que não estão mais no TRT e foram movidos para o Tribunal Superior do Trabalho, podem ser consultados aqui.

Os processos trabalhistas não constumam demorar muito, normalmente são resolvidos rapidamente, diferente do que ocorre com outros tipos de processos. No entanto dependendo da gravidade do caso e da parte envolvida, o processo pode durar mais tempo, principalmente se a outra parte recorrer. O Fato é que o trabalhador está em busca de seus direitos, é preciso ter cuidado também na hora de contratar um advogado, muitos cobram altos honorários, embora a maioria só receba após ganhar o processo e um porcentual da indenização recebida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado