MinhaCasaMinhaVida Nome sujoO Minha Casa Minha Vida é a oportunidade para muitas famílias conquistarem a casa própria, isso porque ele oferece subsídio e condições especiais que viabilizam o pagamento sem comprometer grande parte do orçamento familiar, em algumas vezes o valor da parcela do financiamento pode ficar mais acessível do que o aluguel, dependo do critério de renda que a família se encaixa, dos subsídios concedidos pelo governo e do valor do imóvel pretendido. Quanto menor a renda familiar maiores serão os benefícios concedidos pelo Governo Federal através do programa Minha Casa Minha Vida. Muita gente tem dúvida com relação ao nome sujo, isto é, se você está com o nome nos órgãos de proteção ao crédito como SCPC, SERASA etc. A resposta para esta pergunta é sim e não, isto porque para uma faixa de renda é permitida e para outra é necessário ter o nome limpo, entenda abaixo como funciona essas duas faixas de renda.

QUEM GANHA ATÉ TRÊS SALÁRIOS MÍNIMOS

Para aquelas famílias que possuem renda de até três salários mínimos (média de R$1.600) não tem problema estar com o nome incluso nos órgãos de proteção ao crédito pois o imóvel é caracterizado como “moradia social” então a família é selecionada para Conjuntos Habitacionais para essa faixa de renda, assim como acontece com a Cohab, CDHU e outros programa habitacionais.

A família deve possuir renda de zero a R$1.600 (mil e seiscentos) e o valor das prestações não poderá ultrapassar 5% da renda. O valor mínimo por parcela é de R$25,00 (antigamente era R$50,00), o restante do valor é subsidiado pelo Governo Federal por meio do programa Minha Casa Minha Vida. O interessante é que o governo acaba subsidiando praticamente 100% do valor do imóvel (média de 96%), pois o valor das parcelas que as famílias de baixa renda podem pagar não cobre nem o custo venal do imóvel na maioria das vezes.

Essa atitude do governo de subsidiar imóveis para famílias carentes é algo muito importante, pois esse grupo de famílias não possuem renda compatível para um financiamento habitacional, então se não fosse o MCMV essas famílias possivelmente nunca teriam acesso a casa própria. Hoje o brasileiro já pode sair do aluguel graças ao programa. A seleção de famílias fica a critérios das prefeituras de cada município participante e os imóveis são sorteados entre os inscritos e pré-selecionados pela prefeitura. O município que escolhe o banco financiador, podendo ser a Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil, o prazo de financiamento é de 120 meses (10 anos).

QUEM GANHA DE TRÊS A DEZ SALÁRIOS MÍNIMOS

Para as famílias com renda mensal superior a R$1.600 não é permitido que o titular do financiamento tenha restrição cadastral, pois é feito consulta de avaliação de risco. O valor do subsídio pode chegar a R$25.000,00 porém ele varia de acordo com a renda da família, quanto menor maiores serão os incentivos oferecidos pelo Programa Minha Casa Minha Vida.

O prazo de financiamento para este grupo de renda é de 360 meses (30 anos) então o valor das parcelas acaba ficando bastante acessível para pagamento. Os juros também são os menores do mercado e variam de acordo com a renda, quem ganha menos tem juros menores.

Diferentemente do que acontece com o MCMV para quem ganha até 3 salários mínimos, nesta faixa de renda não é preciso se inscrever na prefeitura, basta procurar um dos bancos financiadores do programa Caixa ou Banco do Brasil, escolher um imóvel de uma construtora participante e realizar o preenchimento de uma proposta para análise.

Para ambas as faixas de renda existe a exigência que a família não pode ter outro imóvel em seu nome, e só poderão ser financiadas moradias unifamiliares e para moradia própria do titular do financiamento, não podendo ser repassado para terceiros. Além disso a família não pode ter sido atendida anteriormente por nenhum programa habitacional, seja ele do Governo Federal, Estadual ou Municipal.

 

Conclusão

Quem ganha até três salários mínimos não tem problema estar com o nome sujo para financiar pelo Minha Casa Minha Vida, já para quem possui renda superior a esse valor é feito análise de risco, portando não pode estar com o nome nos Órgãos de Proteção ao Crédito. Como mencionado acima as famílias que possuem renda até três salários mínimos devem se inscrever na prefeitura e aguardar os sorteio dos imóveis (casas ou apartamentos), já para aquelas com renda superior basta procurar uma construtora participante ou Banco do Brasil ou a Caixa Econômica Federal e dar entrada em uma análise de financiamento.