CAIXA e Minha Casa Minha VidaO Minha Casa Minha Vida é um programa de Habitação do Governo Federal na qual as famílias de baixa renda podem adquirir uma casa ou apartamento, a parcela mínima é de R$50,00 algo praticamente impossível de se conseguir em um financiamento, com o subsidio do governo federal as famílias podem realizar o tão sonhado sonho da casa própria. Para adquirir uma Casa ou Apartamento da CDHU a família deverá ganhar de R$0,00 (Sem Renda) até R$5.600,00 (Cinco mil e seiscentos reais) a renda de até 10 salários mínimos para participar é relativamente alta, também podemos ver que famílias que não possuem renda ou tem o nome sujo, incluso no SPC ou Serasa também podem participar, mas atenção somente não é feita a consulta do nome no Serasa ou SPC para famílias que ganhem até cinco salários mínimos, para renda de 5 á 10 salários mínimos é feita consulta simples no nome do representante familiar na inscrição ou arrimo de família.

  
 Participar do Minha Casa Minha Vida é a chance para muitas famílias de baixa renda que desejam adquirir seu imóvel próprio e sair do aluguel, aliás a parcela do Minha Casa Minha Vida mínima é muito baixa R$50,00 algo impossível de se conseguir em um financiamento habitacional de qualquer banco e também no Minha Casa Minha Vida até mesmo famílias com nome incluso na lista de inadimplência devedores SPC Serasa podem participar. Ou seja o Minha Casa Minha Vida é a possibilidade para muitas famílias que não tem condição de adquirir a casa própria, o programa já realizou o sonho de milhares de famílias em todo o país.

  Para participar do Minha Casa Minha Vida a família também não deverá ter adquirido um imóvel financiado nos últimos cinco anos, ou não possuir imóvel, além disso alguns critérios favorecem o atendimento a família na hora de efetuar a inscrição como: Família não possuir imóvel próprio, Pagar Aluguel, Famílias com Deficientes Físicos, Famílias que moram em áreas irregulares como: Imóveis não escriturados, Áreas Verdes, Próximos a Córregos, Áreas Invadidas, ou outras áreas irregulares. As famílias que ganham até R$2.800,00 tem prioridade do cadastro Minha Casa Minha Vida, e além disto várias construtoras como a Tenda tem realizado parcerias para construir futuros imóveis, um acordo assinado prevê a construção de mais de 2 milhões de moradias, esse número aumenta muito sempre, este projeto Minha Casa Minha Vida é um planejamento do Governo para acabar com o déficit habitacional no país que é muito grande. Para se inscrever no Programa Minha Casa Minha Vida a família deverá procurar a CAIXA da sua cidade e realizar a inscrição, de preferencia já tendo em vista o imóvel pretendido é necessário também portar todos os documentos das pessoas que moram na residência.  Basta procurar a CEF (Caixa Econômica Federal) da sua cidade. Inscrição Minha Casa Minha Vida CLIQUE AQUI o site Caixa é apenas como referencia pois a inscrição só será efetuada presencialmente na CAIXA Econômica Federal

O Programa Minha Casa Minha Vida é sucesso em todo o Brasil, no Estado de São Paulo a demanda pelo Programa é muito grande, visto que o número de pessoas que não possuem a casa própria ou estão em áreas de risco é muito grande. O Programa Minha Casa Minha Vida possibilita as famílias carentes a ter acesso ao financiamento habitacional, coisa que antes do programa era praticamente impossível de se conseguir, já que a burocracia da rede bancária é muito grande.

Fases do Minha Casa Minha Vida

O Programa Minha Casa Minha Vida possui duas fases, cada fase é voltado a uma renda famílias diferente, a primeira contempla famílias com renda de até R$1.600,00 já a segunda apresenta diferença no valor e prazo do financiamento pois é voltado a famílias que ganham acima da renda do Minha Casa Minha Vida fase 1, veja abaixo os detalhes de cada fase do programa:

Minha Casa Minha Vida Fase 1

O Minha Casa Minha Vida fase 1 é voltado para famílias com renda de até R$1.600,00

Podem se escrever inclusive pessoas que não possuem renda alguma e que tem o nome incluso nos órgãos de proteção ao crédito como SPC ou Serasa por exemplo, não é feita consulta de análise e risco de crédito pois o programa é voltado a famílias carentes e de áreas de risco, que antes do Minha Casa Minha Vida fase 1 não poderiam ter acesso ao financiamento bancário habitacional, pois não se enquadravam nas regras de crédito dos bancos, além disso a família paga muito pouco pelos imóveis, o valor da parcela é de 10% da renda famílias, o restante é pago pelo Governo Federal, por exemplo uma família com renda de R$600,00 paga pelo imóvel do Minha Casa Minha Vida fase 1 o valor de R$60,00 mensais. O Valor simbólico deve ser pago durante 10 anos. A família não poderá vender ou alugar o imóvel até a quitação do imóvel.

Minha Casa Minha Vida fase 2

O Minha Casa Minha Vida fase 2 é voltado para famílias com renda superior a R$1.600,00 até R$5.000,00 o valor das parcelas é maior que o Minha Casa Minha Vida Fase 1 mais é bem menor do que um financiamento habitacional de um banco por exemplo. Isso porque o Governo paga parte do financiamento para o abatimento total ou das parcelas. No Minha Casa Minha Vida fase 2 é a família que escolhe o imóvel que quer financiar, no entanto a Obra ou Construtora deve ter convênio com o Minha Casa Minha Vida. Diferentemente do Minha Casa Minha Vida fase 1 a família deve ter o nome limpo nos órgãos de proteção ao crédito, pois é feita análise de crédito e risco.