Minha-Casa-Minha-VidaO programa de habitação popular Minha Casa Minha Vida já possibilitou a aquisição da casa própria a milhões de brasileiros em todo o país. Ele chega subsidiar até 96% do valor dos imóveis para as famílias que tem renda de até três salário mínimos, inclusive ele é praticamente a única forma das famílias carentes saírem do aluguel ou das áreas de risco. O Minha Casa Minha Vida para baixa renda é totalmente diferente dos oferecidos pelas construtoras, financiadoras e bancos, pois o valor do subsídio concedido é bem maior, hoje vamos sanar algumas dúvidas a respeito do programa, como se inscrever e quem pode participar.

Renda de até três salários mínimos

Para ser caracterizado como baixa renda é preciso que a família tenha renda total bruta de até três salários mínimos. Esse valor é calculado com base na renda de toda a família e não apenas do responsável pelo financiamento.

10 anos para pagar

Dez anos é o período que as famílias contempladas pelo Minha Casa Minha Vida deverão pagar a Caixa Econômica Federal ou ao Banco do Brasil. Durante os 120 meses o valor da parcela é corrigido pela TR.

5% da renda é o valor da parcela

As famílias de baixa renda tem outra grande vantagem, ao invés de pagar prestações caras, comparável a de financiamentos, elas pagam apenas cinco por cento da renda durante os dez anos de financiamento, o valor restante é subsidiado pelo governo, através do Programa Minha Casa Minha Vida.

“Nome sujo” não atrapalha

Quem tem restrição no nome nos órgãos de proteção ao crédito não precisa se preocupar, pois o MCMV para baixa renda não faz análise de risco, já que o programa não tem a finalidade de comercializar moradias e sim de diminuir o déficit habitacional para essa faixa de renda. Porém, se a renda da família ultrapassar os R$1.600,00 poderá ser feita consulta ao SPC ou Serasa pois os incentivos do governo serão menores do que para famílias carentes.

A venda dos imóveis é proibida

Quem adquiri um imóvel pelo Minha Casa Minha Vida (baixa renda) e não estiver contente com a localização ou o imóvel (casa ou apartamento), não poderá vender, alugar o repassar a terceiros até que todo o financiamento seja quitado. Infelizmente muitas pessoas acabam repassando imóveis do programa clandestinamente, é importe salientar que se for descoberto irregularidade o imóvel poderá ser retomado a Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil (dependendo do banco financiador).

Inscrição também não é tão simples

Como os imóveis para baixa renda são subsidiados praticamente quase 100% pelo Minha Casa Minha Vida, as inscrições não são tão simples, pois dependem da prefeitura de cada município, realização de sorteios e prioridades. Isso acontece porque a família que vai adquirir por essa fase vai custear um valor muito baixo dos imóveis. Já para aqueles que ganham mais de três salários mínimos a aquisição é mais fácil pois é só procurar uma construtora parceira do programa, Banco do Brasil ou a Caixa Econômica Federal, no entanto é preciso lembrar que os benefícios não serão os mesmos para quem é baixa renda.